As empresas que levantam a bandeira LGBT, vestem a camisa da diversidade?

Hoje, temos visto um movimento de apoio a causa LGBT por parte de diversas marcas e suas campanhas publicitárias. No entanto, a grande questão é saber distinguir quando uma marca, empresa, é de fato engajada e promove a diversidade , ou se ela está sendo oportunista e correndo atrás do chamado “pink money”.

Não adianta levantar bandeiras e dizer “somos LGBT friendly”, se da vitrine para dentro nenhum tipo de política plural faz parte da estratégia corporativa da empresa.

Vale a pena ouvir a reflexão do youtuber Caio Braz, que é também publicitário e membro da comunidade LGBT. Ele chama a atenção justamente para esta questão: até que ponto as empresas são engajadas ou estão apenas fazendo marketing?

Se por um lado, é um avanço ver as minorias representadas e sendo protagonistas de uma campanha publicitária, por outro lado é incoerente ver que este discurso não se reflete no sistema da empresa.

Será que aquela empresa que faz publicidade durante as Paradas do Orgulho LGBT emprega algum transgênero? Há algum gay (assumidamente gay) ocupando um cargo de liderança nesta empresa? Existe uma igualdade salarial dentro do mesmo cargo entre homens e mulheres? Mulheres quando entrevistadas tem que responder a pergunta: você não pensa em ter filhos por agora não né?! A empresa demite mulheres quando estas voltam da licença maternidade?

Sobre marketing, diversidade, oportunismos e protagonismos, com Caio Braz

Quer saber como implementar políticas para a diversidade na sua empresa? Conheça a nossa cartilha Demitindo Preconceitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *